Guarulhos ganha mais um serviço de saúde mental

126
Prefeitura

Pacientes com transtornos mentais graves e persistentes agora têm mais um serviço de saúde para realizar seu tratamento. O sétimo Centro de Atenção Psicossocial (Caps), inaugurado nesta quarta-feira (27) pelo prefeito Sebastião Almeida e pelo secretário de Saúde, Carlos Derman, na rua Rafael Colacioppo nº 80, no bairro do Bom Clima, funcionará das 7 às 19 horas no primeiro mês, passando a operar 24 horas por dia a partir de setembro próximo.

Além de demanda espontânea, o novo Caps atenderá casos referenciados das Unidades Básicas de Saúde (UBS), dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), das policlínicas e dos hospitais da região central da cidade, bem como do Taboão, Jardim Paraíso e Cocaia. Segundo a gerente do Caps Bom Clima, Karina Vieira, sua intenção é aprofundar o trabalho que já existem no âmbito de saúde mental no município.

Atleta da UNG

Com médico psiquiatra, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros, farmacêutico, prático de farmácia, atendentes SUS e gerência, a unidade oferecerá cuidados intensivos, com a retaguarda de cinco leitos para atendimento integral (diurno e noturno).

“O atendimento 24 horas é uma forma de humanizar o acolhimento para pessoas que sofrem com transtornos psíquicos, que às vezes não têm cura”, destacou Eva Santos, coordenadora do Programa de Saúde Mental da Secretaria de Saúde.

Tratamento

O Caps Bom Clima conta com um consultório médico, duas salas de repouso, uma sala de acolhimento, outra de enfermagem, duas multifuncionais para atividades em grupo, recepção, farmácia e jardim, espaço que também será aproveitado para práticas terapêuticas.

Para o secretário de Saúde, Carlos Derman, a proximidade do Hospital Municipal de Urgências vai permitir que os pacientes atendidos na emergência psiquiátrica do hospital possam dar continuidade ao tratamento, com o acompanhamento, muitas vezes, do mesmo médico que o atendeu no momento de surto. “O tratamento precisa ter começo, meio e fim e o fim é a integração do paciente na sociedade e o restabelecimento de seu convívio com a família”, disse.

A missão do Caps é promover a inclusão social dos pacientes, por meio do exercício da cidadania e do acesso ao trabalho, ao lazer, à educação e à cultura, bem como pelo fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

“É mais um passo importante que damos na área de Saúde Mental. O Brasil viveu por tantos anos um modelo ultrapassado, quando as pessoas defendiam os manicômios, onde as pessoas ficavam isoladas do convívio com a sociedade. Precisamos melhorar as relações entre as pessoas. Essa é a principal missão de um administrador”, destacou o prefeito Sebastião Almeida.

Fonte: Prefeitura