Movimento de passageiros no Aeroporto de Guarulhos cresce 7,25% em 2012

114

REDAÇÃO: AGENDE Guarulhos

Movimento de passageiros em Guarulhos cresce 7,25% em 2012 e chega a 32,17 milhões
Crescimento de passageiros domésticos foi de 11,82% em Cumbica e 7,15% no Brasil

Atleta da UNG
Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O movimento no Aeroporto Internacional de Guarulhos cresceu 7,25% em 2012, fechando o ano com 32,17 milhões de passageiros. A taxa foi acima da média nacional de 6,72%, e tem sido essa dinâmica que levou Cumbica a ser em poucos anos o principal aeroporto brasileiro, a se tornar o dobro de Congonhas e a representar sozinho quase 17% de todo o movimento nacional.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Na movimentação só de passageiros domésticos, Cumbica superou em 2012 mais fortemente a tendência nacional – com evolução de 11,82% contra os 7,15% no Brasil – indicando que a força dinâmica do transporte aéreo brasileiro é a demanda interna que segue aquecida, embora tenha desacelerado: em 2011 as taxas foram de 13,2% em Guarulhos e 16,6% no país.
Conforme análise que a AGENDE vem reiterando desde 2009, Congonhas encontrou seu limite de crescimento (16,7 milhões passageiros/ano tanto em 2011 como em 2012).
Esse fato leva a que o crescimento da demanda da Grande São Paulo – atendida por Guarulhos+Congonhas – seja absorvida só por Cumbica que então cresce mais que a média nacional, especialmente nos voos domésticos. O crescimento de Viracopos desafoga parcialmente a demanda do restante do Estado, mas sua distância da Capital e estrutura ainda limitada faz prever a manutenção do crescimento exponencial de nosso Aeroporto Internacional por mais alguns anos.

 

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Já na movimentação de passageiros internacionais houve um claro retrocesso: perda de 0,2% de passageiros em Guarulhos, perda de 0,5% no Estado de São Paulo e um pequeno saldo positivo de 2,9% no País, indicando o peso dos problemas econômicos globais.
Embora impressione o vigor do segmento aéreo brasileiro, superior ao apresentado nas principais economias do planeta, é evidente que o fraco desempenho da economia em 2012 refletiu-se na desaceleração de sua taxa de crescimento, em especial no final do ano passado.